Thanks for your visit. Comments or contact: sissym.mascarenhas@hotmail.com

sábado, março 17, 2012

Conto macabro


Era uma noite de despedida da lua cheia.
Havia uma briga no céu entre as estrelas e as trovoadas.
A chuva venceu, embora tenha ficado por pouco tempo.
Estava tudo sombrio demais.

Abri a porta já pensando em como estaria a visitante que chegou na véspera.
Eu não a encontrei.  Deve ter escapado da tortura!
Como estava cansada, retirei os sapatos, sentei-me de frente 
a televisão, e relaxei o corpo que trabalhou duras horas.

Fui me banhar para aliviar meu corpo do calor do dia.
Ao entrar no banheiro, notei a presença dela.  Ali no cantinho.  
Eu fiquei pensando se ainda restava um fio de vida, mas a coloração
da pele, em tom meio azulado, denotava a morte certa.

Não tinha mais nada a fazer senão aceitar que o fim sempre chega;
lamentei por ela ser tão jovem cuja idade remetia à inocencia.

Voltei a sentar no sofá para me recordar de como foi a noite anterior :
* * *

Olhei à esquerda e notei que minha filha estava brincando com ela.

Eu alertei :

- Não pode, assim voce vai matá-la.  Ela ainda é uma criança!
Ela me encarou, respondeu num tom de voz baixo, mas contestador
e voltou a cutucar a vítima.
- Não pode.  A doutora já disse que faz mal, muito mal.
Ela olhou novamente para o meu rosto, antes de se acomodar no sofá, disse:

- Miiiiiiiiiiiii..............




Era meu dever dar uma chance aquela jovem.
Com muito cuidado, eu a conduzi a um canto seguro da casa
a fim de que se protegesse e fosse embora.

Imaginei que logo recuperaria a parte que foi perdida.


Só que depois, durante minha ausencia,
bastaram algumas horas para que o ato fosse consumado.
Certamente, o ultimo suspiro se deu simultaneamente
a queda dos pingos de chuva.


Compartilhe esse artigo:

Related Posts with Thumbnails

42 comentários:

  1. Sissy querida, essa gorducha apronta cada uma! Até agora eu já ficava espantado com ela: namorando um peixinho e capotando baratas, mas não sabia que ela era capaz de torturar! rsrsrsrsrs
    Pobre lagartixa! Vai ver ela foi infeliz e olhou p a gorda mostrando a língua, e a fofucha como não tem sangue de barata, acabou capotando a pobre! rsrsrsrsrs
    Dá um beijo nessa gordinha por mim!!!

    ResponderExcluir
  2. Oh tadinha, Sissym,

    mas aceitar a morte faz parte da vida.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Olá Sissy,

    que dó da pequena lagartixa...

    Abraço

    ResponderExcluir
  4. Olá, Sissym!
    Gostei, também, desse seu lado contista!
    Bjs!
    Rike.

    ResponderExcluir
  5. Sua filha e sua gata mataram a lagartixa?
    E vc fez disso um conto macabro?
    rsrsrsrs
    aqui...
    sobre a foto do blog... vc não entendeu a legenda?
    O não tão fraco pombo... escapou do urso...
    bjos

    ResponderExcluir
  6. So you can be sad as well, I thought you were exclusively an explosion of optimism and enthusiasm. Oh how I wish I spoke Portuguese, I'd have understoot everything a lot easier.

    ResponderExcluir
  7. @Geraldo: Ela estava tão dura que acho que morreu petrificada de pavor.

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. @Edgard Shigenaga: Ed, infelizmente não pude gravar a D. GORDA respondendo às minhas maternais advertência. E mais, aceitou o meu NÃO, deu meia volta e se foi. Não posso ser muito dura com ela, afinal, é uma viradeira profissional de cucarachas!

    Bjs

    ResponderExcluir
  9. @Milene Galvão: Mylla, a minha filha é a gata! Eu tenho duas, uma peluda e gorda, outra sem pêlos e magra.

    Sobre a foto, sim, entendi.

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. @Sozynho: Mas o que mais tenho por aqui são contos.... BEIJOS

    ResponderExcluir
  11. Santa crueldade. De um lado uma inocente criança que brinca com a lagartixa sem perceber o que poderá acontecer, do outro o gato um animal que age por extinto. Não poderia ter um final diferente. O triste fim da inofensiva lagartixa.

    ResponderExcluir
  12. @unikorna: It is not sad! I always tell the antics of my cat Lola in a tone half playful and sarcastic too!

    Kisses

    ResponderExcluir
  13. @David de Assis da Silva: Eu bem que expliquei à Lola que lagartixas comem mosquitos. Eu já tive dengue, imagine só se aceito matanças de lagartixas! Nunquinha!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  14. Olá minha querida amiga Sissym, boa noite!!!
    Minha amiga, confesso que quando avistei o castelo macabro, repleto de nuvens negras e relâmpagos, fiquei meio assustado, mas fui à leitura... logo comecei a rir, avistei a Lola (a gata gorda que não sabe miar) em uma posição de muito relax... depois fiquei com dó do bichinho sem rabo, os meus também fazem isso... Valeu minha amiga, adorei o conto, parabéns!!!
    Tenha uma linda noite e um domingo maravilhoso e abençoado!!!
    Beijos e muita paz!!!

    ResponderExcluir
  15. Dei uma relaxada mais ainda nesse domingo de pernas para o ar, quando li esse relato, maravilha são os bichos que nos acompanham e nos visitam, alguns não voltam mais, rsrs
    Amiga te desejo um ótimo domingo e uma boa semana.
    Beijos de flores.
    Lua.

    ResponderExcluir
  16. @Luis Eduardo Pirollo: Du, voce sabia que os gatos não devem comer lagartixas porque passam uma doença dificil de curar?!

    Pois é... e a Lola fica doida quando ve uma, por enquanto, é só para arrancar o rabo e matar...

    Beijios

    ResponderExcluir
  17. @Lua Negra: Lua, depois que eu soube que o Rei Roberto Carlos tem uma de estimação, então não posso mais permitir matanças na minha casa. Alguma, nem que seja uma, tem que ser minha, para eu chamar de MEU!!!!!!!!!!! rssss


    Bjs

    ResponderExcluir
  18. @Solange: Solange, e voce com esta foto de maos no rosto.... kkkkk... caiu perfeito ao seu comentario! BEIJOS

    ResponderExcluir
  19. Fadinha, num primeiro momento, pensei que se tratava de uma história com monstros e tal, mas depois vi que o macabro do título tinha outro sentido... coitada da lagartixa.
    Ps.: Adorei a música do final... hahahaha

    ResponderExcluir
  20. @Barbie Californiana: Querida Boneca Barbie, no Blogzoom tudo é light, nada é realmente para arrancar os cabelos, exceto as travessuras de Lola... rsss...


    Beijos

    ResponderExcluir
  21. Não fico no mesmo ambiente que uma lagartixa. Você foi cruel falando das partes! (rs*) Juro que estou enjoada!! Você tem que passar antisséptico fora e dentro da Lola, argh!!
    Boa semana!! Beijus,

    ResponderExcluir
  22. Sissym, porque você não muda a opção do blogger no sistema de comentários, de não receber comentários anônimos e tira as letrinhas de identificação?

    ResponderExcluir
  23. @Luma Rosa: Boa idéia, Luma. Vou mandar a Lola fazer bochechos com Cepacol! rssss

    ResponderExcluir
  24. Vim deixar um beijinho pra você, só em não tiver toda hora passeando pelo dihitt já estou com saudades.

    Beijinho, Sissym

    ResponderExcluir
  25. @Van: Eu tambem sinto falta, mas estou mais aliviada.

    Beijos

    ResponderExcluir
  26. feliz, otimo, maravilhoso dia do blogueiro tbm, e vlw por gostar da tirinha.seus poemas são sempre belos sucesso sempre.

    ResponderExcluir
  27. Fadinha querida:
    Já que você além de gentilmente ir ao meu blog me cumprimentar, também me avisou do nosso dia, eis-me aqui para fazer o mesmo.
    Parabéns por este cantinho encantado e a você que tantas vezes joga o seu pozinho de pir lim pin pin sobre nós mortais.
    Eu não tenho problemas com lagartixas, mas se minha filha lesse seu post ia sair correndo. Ela odeia lagartos, lagartixas e companhia. rsrs
    beijos

    ResponderExcluir
  28. Muito interessante e oportuno!
    Olha, agradeço pela lembrança do Dia do Blogueiro. Ando numa correria que nem me dei conta.
    Mas saiba que suas palavras são sempre valiosas.
    Um ótimo final de semana pra você com muita paz e harmonia.
    Ah! Logo aparece outra lagartixa, com toda certeza.

    ResponderExcluir
  29. @Janderson azeitoma: AzeitoMa, obrigada! Fico feliz por isso! Adorei sim a tirinha.

    Beijos

    ResponderExcluir
  30. @Atena: Atena,

     Tadinhos destes jacarezinhos desdentados... que ainda são bonzinhos comendo mosquitos que nos fazem mal.... rsss

    Bjs

    ResponderExcluir
  31. @Pedro Brasil Jr: Pedro, sim, esta não foi a primeira a ser assassinada friamente na minha casa! rsss

    Bjs

    ResponderExcluir
  32. Sissmy, que conto aterrador.. a Lola tem um lado psicótico que eu não conhecia... mas perfeitamente normal às caçadoras e brincalhonas de plantão..rsrs
    Não consegui cheguei a tempo de encontrar a lagartichinha inteira? Que pena... mas outras vão aparecer e o instinto da gorduchinha vai prevalecer, com certeza!!!
    Adorei demais o conto macabro! Notei que o castelo combinou perfeitamente com o pelo da gatinha mais linda e fofa do pedaço!!!
    Amei passar por aqui amiga! ~E o primeiro conto de terror que me fez sorrir!!
    Muitos beijos e ótima tarde amiga!!!

    ResponderExcluir
  33. @Adriana Helena: Ahhhh Adriana, eu me senti motivada: o primeiro conto de terror que faz sorrir! Então!
    Nem para dizer algo tão macabro consigo ser mais séria! Só que deu arrepios... principalmente ao ver a coitada da lagartixinha. O rabo ainda não encontrei... rsss

    Beijos

    ResponderExcluir
  34. @Sissym: 
    Sissym, pode ficar tranquila amiga!!!
    Eu imaginei a gatinha brincando e por isso o medo se afastou... mas seu conto está perfeito e muito bem ambientalizado no castelo mal-assombrado! É futuro certo na sua carreira!!! (Ainda bem que eu não vi o sacrifício da lagartixinha,só imaginei..rsrs Beijos!!!!

    ResponderExcluir
  35. @Adriana Helena: Ahhh o sacrificio foi feito escondido de meus olhos... rssss

    ResponderExcluir
  36. Felicitações para você também :). muitos beijos Sissym.

    ResponderExcluir
  37. @unikorna: Petronela! I cant believe! rsss... Thanks my dear friend!

    It is perfect!

    Beijos

    ResponderExcluir
  38. Simone, esse seu conto acaba de me lembrar de meu pesaroso passado de serial killer mirim de formigas.

    Eu, quando criança, não tinha muitos amiguinhos, não era popular mesmo, nem um pouco. E ficava eu a criar minhas próprias brincadeiras, estudava e tal.

    O dia fatídico em que aceitei meu destino de matador profissional de formigas - a saber, o de minha "iniciação" funesta - foi quando eu tinha 9 anos.

    Na casa onde cresci, estava tendo uma infestação horrível de formigões cabeçudos, daqueles que você esmaga a cabeça e faz um ruído seco. Não ligava muito pra essa infestação, até o dia em que fui fazer uma vitamina pra mim numa tarde quente de verão, e levei um baita susto quando fui usar o liquidificador. Saiu um cheiro horrível quando liguei. Desliguei e fui abrir o liquidificador, e qual não foi meu terror quando vi centenas de formigões a correr sobre minha mão. Deixei cair o liquidificador r ele quebrou. Quando chegou minha mãe do traalho, levei a maior bronca, credo!

    No dia seguinte, começaria a executar minha vingança sobre aquelas malditas invasoras...

    Fui à caça de mais formigas e encontrei um baita ninho do lado de fora bem ao lado do banheiro. Elas nem notaram minha presença. Quando notaram, receberam, elas e seus ovos alienígenas em forma de formigas, um banho de água fervente descendo de uma chaleira mortífera.

    Localizei outro ninho, mas o instinto vingativo de uma criança escorpiana é terrível, e não exterminei-as de pronto. Elas estavam debaixo de umas madeiras guardadas no fundo do quintal. Peguei um pacote vazio de pão e coloquei umas 3 colheres de sopa de açúcar dentro. Depois, pus o pacote doce perto da toca delas. Passou-se uma semana e eu até havia esquecido a tal vingança, quando, pra minha surpresa fui olhar o pacote. Estava recheado de formigas, elas haviam transferido todo seu ninho para aquele pacote.

    Seu instinto não detectou a armadilha. Elas apenas seguiram sua gula destruidora, que foi sua perdição eterna. Peguei o pacote, coloquei-o no chão com a boca torcida sob uma pedra. Toquei gasolina usada por meu tio, e toquei fogo. A vingança estava consumada e os corpos daquelas mal-fadadas formigas, tostando e pipocando torradas ao ar. serviram de exemplo terrível para outras hordas invasoras de formigas cruéis.

    ****

    O que você achou?? deu medo?? kkkkkk

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  39. @Ebrael Shaddai: Ebrael, eu tambem não gosto de formigas, especialmente porque mataram um casal de pequenos jabutis que eu tive na infancia. Só lembro de meu pai pedir que não fossemos ao quintal pois as formigas fizeram um estrago muito feio.

    Ri um bocado do que vc fez, e com sucesso!

    Beijos

    ResponderExcluir

Recados: sissym.mascarenhas@hotmail.com
Obrigada